pixeldoFacebook

Se você está pensando em cursar Engenharia na faculdade, mas não sabe qual área escolher? Montamos esse post para você descobrir qual especialidade combina mais com o seu perfil.

Você quer se tornar um engenheiro, mas tem dúvidas sobre os variados segmentos desse campo profissional? Então, é fundamental saber mais sobre os tipos de engenharia, as diferentes possibilidades da carreira e o que, de fato, será exigido de você na vida profissional.

É preciso entender como funcionam os principais ramos da profissão, levando em conta as possibilidades de atuação e o mercado de trabalho. Além disso, você deve saber o que considerar para escolher as melhores faculdades de engenharia e ter uma formação de qualidade.

Acompanhe nosso post e saiba mais sobre 5 das principais graduações em engenharia e tudo mais sobre esse curso. Assim, você terá condições de escolher melhor o caminho da sua carreira!

Por que fazer a faculdade de engenharia?

Essa pergunta deve ser feita por todo estudante que considera essa profissão, afinal, você está subindo o primeiro degrau para definir a sua carreira. Mais importante do que a questão salarial ou ser um curso da moda, é preciso saber se existe compatibilidade entre a sua personalidade, ambições e aquilo que a carreira oferece.

Ao engenheiro, cabe conceber, desenvolver e gerenciar projetos. A formação acadêmica oferece a base teórica e as habilidades práticas necessárias para que o profissional comece a exercer seu ofício com qualidade.

Quem aposta em uma carreira de exatas precisa ter afinidade com cálculos e raciocínio lógico, ter um perfil analítico, gostar de trabalhar com planejamentos e estratégias, liderar equipes e saber lidar com desafios. É uma profissão com uma forte relação com inovações tecnológicas — por isso, é fundamental manter-se atualizado.

Se a sua ideia é trabalhar com algo que lhe dê condição de transformar a realidade de alguma maneira, pense na engenharia como a melhor alternativa.

Quais são os tipos de engenharia?

Existem vários segmentos da engenharia, e é preciso conhecer as características e o mercado de trabalho de cada área para saber aquela que mais se encaixa ao seu perfil.

Os cursos superiores de engenharia têm duração de 5 anos, e ao final o aluno precisa realizar o estágio supervisionado — momento em que o aluno conhece de perto a rotina da área que escolheu.

Acompanhe, abaixo, os tipos de engenharia que você pode cursar e que oferecem boas oportunidades profissionais:

1. Engenharia Ambiental

O engenheiro ambiental é o profissional responsável por avaliar e analisar os impactos ambientais que os empreendimentos podem causar aos ecossistemas. Assim, cabe a ele propor ações que visem à preservação dos recursos naturais, a sua conservação e recuperação, sem que haja prejuízo financeiro para as empresas.

Além disso, esse profissional é capaz de executar e fiscalizar diferentes tipos de obras e serviços, além de ter condições de trabalhar no projeto e gerenciamento de:

sistemas de obtenção e distribuição de água;
serviços de coleta e tratamento de esgoto;
reciclagem de resíduos sólidos;
sistemas de drenagem;
recuperação de áreas degradadas.
É uma carreira que tem espaço nas atividades de controle da poluição do ar, água e solo, causado, por exemplo, por atividades industriais. O profissional pode ainda trabalhar com bioprocessos e biotecnologia, avaliando os impactos ambientais da produção de um determinado produto.

Na engenharia ambiental, há também uma grande demanda em consultorias — nas quais o engenheiro é solicitado para atuar na área de licenciamento ambiental.

Curso superior

Nos primeiros semestres da engenharia ambiental, o aluno acompanha disciplinas como ecologia, biologia, física, cálculo e química. Depois, o conteúdo se volta mais para a prática profissional, por isso, entre vários temas, são abordados:

geologia;
hidráulica ambiental e sanitária;
hidrologia;
microbiologia;
monitoramento ambiental;
planejamento ambiental;
poluição hídrica;
energia e meio ambiente.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para a engenharia ambiental é diversificado e está em expansão, em especial na área de pesquisa. É possível encontrar espaço em empresas e indústrias, na administração pública, ONGs e em serviços de consultoria.

Em um momento em que a sustentabilidade tem se tornado cada vez mais relevante para o planeta, esse profissional encontra mais espaço no mercado — seja atuando no setor público, no controle e recuperação de ambientes urbanos e rurais, seja no privado, desenvolvendo projetos sustentáveis para as empresas.

Além disso, existe uma demanda em relação ao controle de poluição e fiscalização de projetos. Outra opção é a consultoria no atendimento a incorporadoras, indústrias e em serviços que envolvem o licenciamento ambiental.

2. Engenharia Civil

Entre os tipos de engenharia, o bacharel em engenharia civil tem uma área de atuação bastante abrangente. É o responsável pela criação, planejamento, operação e manutenção de obras como:

residências;
prédios;
rodovias;
pontes;
ferrovias;
hidrovias;
barragens;
portos;
aeroportos.
Nas atividades de rotina, esse profissional projeta estruturas e pode:

acompanhar o andamento de todas as etapas da obra;
elaborar orçamentos;
padronizar e mensurar procedimentos;
implementar critérios de segurança e controles de qualidade.
Além disso, ele define materiais, realiza projetos hidráulicos, elétricos e sanitários, além de atuar ao lado de equipes de instalação, montagem, operação, reparo e manutenção de obras. O engenheiro civil também fiscaliza as ações, com a análise de relatórios, realiza inspeções e elabora estimativas de orçamentos para a obra.

Curso superior

O conteúdo programático conta com disciplinas gerais — como matemática, física, química e cálculo — e mais direcionadas, voltadas para ciência dos materiais, projetos, desenho técnico, topografia, mecânica dos solos, materiais de construção, saneamento e tratamento de resíduos.

Mercado de trabalho

O engenheiro civil encontra boas oportunidades profissionais. Ele pode trabalhar no setor público ou privado, exercendo uma série de funções como: atividades em cálculo estrutural e construção civil, recursos hídricos e sanitários, construções de portos, canais, barragens e diques, sistemas de drenagem e irrigação, engenharia de transportes e construção de estradas.

Outra área que valoriza muito o trabalho desse profissional é a incorporação — o engenheiro especializado detecta o negócio, faz a busca pelo terreno e identifica o melhor empreendimento para ser desenvolvido naquele local.

3. Engenharia Elétrica

A engenharia elétrica atua, de forma generalista, no desenvolvimento e integração de sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.

No dia a dia, o profissional lida com equipamentos eletroeletrônicos, com autonomia para otimizá-los, projetá-los, instalá-los e fazer a sua manutenção periódica. Pode também criar sistemas de medição e de instrumentação eletroeletrônica, de acionamentos de máquinas, sistemas de iluminação, proteção contra descargas atmosféricas e aterramento.

A principal função desse profissional é levar energia elétrica para toda a população. Ele pode também fabricar equipamentos, desenvolver circuitos elétricos para a indústria eletroeletrônica, além de especificar máquinas, equipamentos, materiais, componentes e dispositivos eletromecânicos e eletromagnéticos.

Curso superior

A matriz curricular começa com temas mais gerais, como matemática, física, cálculo e estatística. No decorrer do curso, o aluno acompanha disciplinas mais práticas, como:​

circuitos elétricos;
eletrônica;
eletromagnetismo;
materiais elétricos;
instalações elétricas;
administração e custos industriais;
projetos de instalações elétricas.
Mercado de trabalho
As principais áreas de atuação do engenheiro eletricista são as empresas que geram, transmitem e distribuem energia elétrica. Além disso, concessionárias de energia, instituições públicas e de pesquisa também apresentam possibilidades interessantes de atuação.

Uma vez formado, o profissional terá condições para atuar nas áreas de sistemas de:

potência;
automação;
planejamento;
controle de processos.
Grandes centros de pesquisas do Brasil também contam com o profissional de engenharia elétrica para o desenvolvimento de novas tecnologias, equipamentos e materiais sustentáveis.

4. Engenharia Mecânica

O bacharel em engenharia mecânica trabalha com projeto, instalação e otimização de sistemas mecânicos, termodinâmicos, eletromecânicos e de estruturas. Atua em todas as etapas — concepção, análise, seleção de materiais, fabricação, controle e manutenção.

O profissional pode coordenar equipes de trabalho e realizar pesquisas científicas com o intuito de contribuir com o conhecimento na área. Pode também executar e fiscalizar obras e serviços técnicos, realizar vistorias, perícias e avaliações.

É o profissional que atua no desenvolvimento de máquinas, ferramentas e demais equipamentos para indústria — o que justifica a sua procura em vários segmentos.

Curso superior

No início da graduação, a matriz curricular se volta para disciplinas como matemática, física e química. No decorrer do curso, são tratados conteúdos como:

desenho de máquinas;
processos metalúrgicos;
mecânica dos fluidos;
termodinâmica;
processos de usinagem;
manutenção industrial.
Mercado de trabalho

A atuação do profissional de engenharia mecânica é concentrada dentro das indústrias — com destaque para setores de petróleo e gás, automobilístico, aeronáutico, metalúrgico e siderúrgico. O mercado também costuma ser propício para especialistas em reciclagem de materiais e processamento de polímeros.

Empresas como a Petrobras, por exemplo, realizam concursos públicos sempre muito concorridos, que oferecem salários elevados para profissionais especializados na área.

5. Engenharia de Produção

O engenheiro de produção atua no projeto, implantação, operação, otimização e manutenção de sistemas integrados de produção de bens e serviços. São atividades que incorporam aos setores produtivos diferentes tipos de conceitos, técnicas e ferramentas da área administrativa.

Esse profissional pode atuar com equipes de trabalho para realizar pesquisas de natureza científica e tecnológica, trabalhar na execução, fiscalização de obras e serviços técnicos, entre outras funções. É uma área diferenciada, pois une os conhecimentos da engenharia com noções de economia e administração.

Curso superior

Na graduação, o aluno aprende conteúdos mais gerais, como matemática, física e cálculo. Ao longo dos semestres, as disciplinas se tornam mais específicas:

economia;
contabilidade e custos;
engenharia da qualidade;
gestão de produção;
logística e cadeia de suprimentos;
automação da produção.
Mercado de trabalho
A engenharia de produção é útil em vários setores industriais e de serviços, pois o profissional tem condições de atuar na parte de recursos humanos, logística, finanças e de materiais de empresas de portes variados. O profissional utiliza estratégias para aumentar a produtividade de uma organização e reduzir os custos.

É importante ressaltar as oportunidades que a área de logística oferece para essa carreira, abrindo espaço para o engenheiro de produção em instituições bancárias, transportadoras e indústrias de maneira geral. Trata-se de uma das opções mais vantajosas para quem planeja o crescimento da carreira.

Como saber qual área da engenharia escolher?

Como você pôde ver, as áreas de atuação para os diversos tipos de engenharia são variadas. Para escolher a sua carreira, o ideal é analisar as características de cada curso e refletir sobre as variáveis que distinguem as atividades de cada segmento. Entre elas, podemos citar:

o perfil das empresas que empregam os profissionais;
o ambiente e o local de trabalho a ser desenvolvido;
características do mercado;
possibilidades que o campo de trabalho oferece.

Procure se concentrar nesses pontos na hora de avaliar a melhor opção para você.

Com qual delas você tem mais afinidade? O que sabe sobre o mercado de trabalho e o campo de atuação? Quais são as suas expectativas em relação à remuneração? O que você pensa a respeito da capacitação tecnológica que cada uma dessas áreas exige?

Ao responder essas questões, você consegue se aproximar do segmento da engenharia que, certamente, possibilitará o seu sucesso profissional.

Como identificar as melhores faculdades de engenharia?

Depois de definir uma área, o estudante deve saber como escolher as melhores faculdades de engenharia. Afinal, estamos falando de investimento de tempo e dinheiro que terá reflexo sobre o futuro da sua carreira. Mas, como saber se a instituição de ensino superior é de qualidade?

Para isso, é preciso avaliar os seguintes aspectos:

curso autorizado pelo Ministério da Educação (MEC) e com boa avaliação do órgão;
qualidade do corpo docente;
infraestrutura — salas de aulas, biblioteca, laboratórios, recursos tecnológicos, equipamentos etc.;
matriz curricular com abordagem teórica, prática e atual;
possibilidade de bolsas de estudo e financiamentos;
oportunidade de realizar iniciação científica e participar de programas de extensão.
Utilize a internet para fazer uma boa pesquisa e levantar o maior número de dados sobre a instituição de ensino. Vale também fazer uma visita e conhecer os espaços pessoalmente. Aproveite para conversar com professores, coordenadores e alunos para tirar todas as suas dúvidas.

Se você busca uma área com boas perspectivas profissionais, escolha uma carreira entre os tipos de engenharia que apresentamos neste post. Para que a sua formação seja de qualidade, analise com cautela o que as instituições de ensino oferecem e invista nas melhores faculdades.

Para ter mais detalhes da graduação em engenharia, perfil do aluno dessa área e mercado profissional, faça o download do Guia completo do futuro estudante de engenharia!

fonte: https://blog.unifoa.edu.br/engenharias/

EnglishPortugueseSpanish